Sabe de onde vem o sabor do café?

O sabor do café está bem relacionado com a qualidade do seu grão. Mas, poucos já pararam para pensar de onde vem o gosto e o aroma desta que é a paixão nacional. Então, saiba mais detalhes sobre essa que é a segunda bebida mais consumida no país.

Você sabe de onde vem o sabor do café?

Antes de mais nada, sabe-se que a bebida é uma das paixões dos brasileiros, sendo indispensável no dia a dia. Muitos não conhecem, de fato, de onde vem o seu amargor, ou aquele cheiro marcante de um bom cafezinho.  

O sabor característico da bebida, suas nuances e aromas, não são adicionados à bebida. Todas as notas sensoriais fazem parte da história do grão, desde a terra de plantio, até a torra. Por isso, o que contribui para o seu sabor são:

  • Processo;
  • Torra;
  • Variedade;
  • Preparo.

Compostos importantes

A princípio, a temperatura e a técnica usada na torra, é o que destaca as substâncias que irão garantir as principais nuances. Eles serão responsáveis pela traços que fazem a bebida única, por exemplo:

  • Amargo;
  • Doce;
  • Ácido;
  • Corpo.

Por último, são eles que conferem todo o sabor do café e seu cheiro, que se dividem em compostos voláteis e não voláteis.

Foto: Há diversos elementos responsáveis pelo sabor do café, o que o torna mais doce ou amargo

Saiba o que são os compostos voláteis

Os químicos orgânicos estão presentes em vários alimentos, em pequenas quantidades. Assim, eles são autores do aroma e sabor. As notas sensoriais do café que podem ser ressaltados na hora da torra são:

Elementos que ditam a qualidade do café

A princípio, é a presença ou não desses compostos que determinam a qualidade do grão. Eles são criados a partir das reações químicas orgânicas que ocorrem com o calor, na hora em que este é torrado. 

Eles que ditam as notas do café e fazem com que possa sentir no olfato e paladar. Enfim, pesquisas feitas no setor já contam com mais de mil substâncias voláteis diferentes na bebida.

Cada um deles é liberado com a ajuda da temperatura, por isso, existem diversos tipos de torra, das claras às mais escuras.

Compostos não voláteis e seu impacto no sabor do café

Embora o não volátil mais famoso do café seja a cafeína, responsável pelo amargor e corpo, nele ainda há uma série de outros compostos químicos, por exemplo:

  • Ácidos clorogênicos;
  • Carboidratos;
  • Lipídios. 

Ácidos clorogênicos

A presença de ácido clorogênico é o que deixa a bebida o sabor do café com o gosto amargo e também pela adstringência. 

Ele é rico em compostos bioativos, ou seja, ele age de forma positiva sobre a saúde. Dito isso, o clorogênico presente no grão tem atividade antioxidante, neuroprotetora e hipoglicemiante. Portanto, oferece só benefícios para o corpo.

Os ácidos orgânicos

Enquanto o clorogênico reduz com o tempo de torra, o oposto ocorre com os outros ácidos presentes no grão. Na bebida, então, ainda se notam elementos: 

  • Cítricos;
  • Málicos;
  • Clorogênicos.

Eles afetam a acidez da bebida

Antes de mais nada, o clorogênico é o que dá acidez à bebida. Mas, quanto mais o tempo de torra, menos ele se faz presente, ou seja, ele reduz. 

Foto: O tempo de torra afeta o sabor do café, deixando-o menos ácido

Carboidratos

No café há polissacarídeos, entre eles, a celulose. Eles ajudam na retenção dos compostos voláteis, ou seja, reter o aroma. Assim, mesmo que eles sejam vitais para sentir aquele cheiro de café característico, ele também afeta o gosto da bebida.

Por conta dele que se tem a viscosidade na bebida. Dessa forma, o corpo do café, que vai do mais para o menos encorpado é característica dos carboidratos. 

Esse é um dos fatores que merecem atenção na degustação, a fim de definir se um café tem qualidade ou não. Por fim,os monossacarídeos, sendo a glicose e a frutose, que ajudam a sentir o dulçor da bebida.

Lipídios

A princípio, os lipídios contribuem para a consistência do líquido e também pela estabilidade da espuma que se forma no topo do café, chamado de crema. É ela, aliás, que garante que os aromas fiquem na xícara até que esse seja degustado, como uma capa protetora.

Essenciais para se ter um bom café

Cada um com sua função é de grande importância para ter uma bebida de qualidade, todos com suas características contribui para um cafezinho com várias nuances tanto no sabor do café quanto em seu aroma.

Reações químicas que afetam o sabor do café

O momento da torra é onde acontecem as reações químicas, entre elas estão a de Maillard, que produz os heterocíclicos contendo nitrogênio e enxofre. 

Além disso, há a redução do ácido clorogênico em cafeico e quínicos. Todas essas substâncias ajudam para o amargor e o gosto adstringente do café.

Por fim, na reação de Strecker ocorre a quebra de aminoácidos em aldeídos e cetonas, o que dá o cheiro característico para a bebida.

Elementos específicos também mexem com o sabor do café

Primeiro, cada uma dessas substâncias confere um sabor próprio. Os florais e frutados são resultados de cetonas e aldeídos.

Segundo, as cetonas como furanos e furanonas, trazem o dulçor de caramelo e o café tostado. Enquanto as nozes e o mais torrado vem das pirazinas.

Por último, nem sempre o resultado dessa mistura de substâncias traz resultados positivos, um exemplo é o guaiacol, que dá à bebida um sabor do café queimado.

O café em cápsulas também possui todo esse sabor?

Antes de mais nada, o café em cápsula é o mesmo grão torrado, moído e colocado em um recipiente de plástico ou alumínio. A embalagem é pensada para manter a qualidade do pó, aliás, como ele é envasado em pequenas quantidades, ele oxida devagar. 

Logo, isso confere mais sabor à bebida, seja ela floral ou frutal, o corpo e o amargor que vem da torra e já estão presentes no grão, também permanecem com a mesma qualidade. Sendo assim, as cápsulas possuem todo o sabor que vem deste produto.

Para quem gosta de experimentar diversos sabores, não deixe de visitar o catálogo da Bicafé na Shopee, a fim de se apaixonar pelas bebidas da marca.

Curta o sabor do café e teste diversas opções da bebida

Um dos prós das cápsulas são as diversas opções em sabores, ótimo para quem está no começo da aventura no universo do café. Além disso, com elas não há desperdício e sem falar que também são práticas e fáceis de preparar.

Um barista sabe lidar com as características do grão, mas quem é iniciante e quer aprender a distinguir os gostos, pode apostar nas cápsulas. 

Elas possuem qualidade e são feitas na medida certa para que você consiga sentir o sabor do café e todos os prazeres que ele oferece ao paladar.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.