Café excelsa: um tipo muito diferente de café

Café excelsa: um tipo muito diferente de café

O excelsa é membro de uma família de cafés chamada liberica. Isso porque, ele é um dos tipos de café do mundo que cresce em árvores mais altas, diferente dos pés que se conhece no Brasil, os quais são da família arábica.

O que é o café excelsa?

Esse tipo de café é designado por excelsa, mas seu nome técnico é Coffea liberica var. dewevrei. Ele é uma variedade bem diferente, conhecida por ter um aroma único. Distinto do café arábica e o robusta, ele se difere, acima de tudo, por suas plantas, grãos e os sabores.

Onde se cultiva essa espécie de café?

A variedade é mais comum em regiões do Sudeste Asiático como as Filipinas, bem como, na África Ocidental. No Brasil, ele chegou como uma alternativa para diversificar o cultivo em algumas regiões, mas não se difundiu tanto pelo território.

Em terras brasileiras, esse tipo de café chegou em algumas regiões como forma de estudos sobre o desenvolvimento. Ainda assim, em alguns casos, a adaptação foi boa e rende uma produção considerável.

Café excelsa: um tipo muito diferente de café
O grãos do excelsa são especiais – Foto de jakubgojda | Canva

Como é o cultivo do excelsa?

As árvores de excelsa podem crescer em condições climáticas variadas, incluindo terrenos mais secos e mais altos, onde outras variedades de café não prosperam tão bem.

É por esse motivo que ele é o café mais escolhido para ser cultivado em lugares com climas mais quentes e secos. Ele suporta bem o calor, porém, esse grão corresponde a apenas 7% da produção cafeeira no mundo.

Como é o sabor do excelsa?

Quando o assunto é sabor, o excelsa é totalmente diferente, com um mix de sabores que pode ir de frutas e madeira até notas mais exóticas como abacaxi e tamarindo. Além disso, essa mistura de gostos faz dele uma escolha perfeita para quem quer experimentá-lo.

Ainda falando de gosto, o café tem uma acidez na medida certa, nem muito forte, nem muito fraca, que combina perfeitamente com sua riqueza de sabores. Essa harmonia de acidez e sabor faz com que o café seja realmente especial.

Com seu gosto único e sua capacidade de crescer em condições variadas, ele não só traz novos sabores para a mesa, como também promete uma experiência que todos vão querer repetir.

Quais são os desafios de produzir o excelsa?

Apesar da variedade excelsa ser mais forte, ela também está sujeita a queda de rendimento em razão da seca ou excesso de chuvas. Assim, ele requer cuidado, desde o cultivo até a colheita e a secagem dos grãos, o que demanda tempo e dedicação.

Outro ponto é que, embora resistente, ele não é o mais fácil de cultivar. Ele tem suas peculiaridades, como qualquer planta, e entender o que funciona melhor para conseguir uma boa safra pode levar algum tempo e experimentação.

À medida que essa espécie se torna mais comum, mais fácil será o acesso a informações sobre como adaptar o cultivo em cada região, uma vez que passa a ser objeto de estudo por agrônomos, por exemplo.

Custos de produção

Devido às demandas dessa espécie, os produtores podem ter que investir mais em defensivos ou substâncias para correção do solo. Por isso, é preciso analisar se os valores de venda do produto cobrem o custo com a produção.

Para os produtores, é uma oportunidade de se destacar no mercado, mesmo que tenham muito trabalho para fazer uma boa colheita. No entanto, essa variedade ainda não é tão popular no país, o que pode dificultar a venda.

Logo, o grande desafio é fazer com que mais pessoas experimentem esse café e com isso, haja um interesse maior em relação à produção.

Uma boa xícara de café excelsa pode ter muitos sabores – Foto de diego_nleite | Canva

Como degustar o café excelsa?

Primeiramente, escolha seu método preferido de preparo, seja na prensa francesa, filtro de papel ou até em um espresso, o importante é que se controle a temperatura e o tempo para extrair o melhor sabor.

Depois disso, a temperatura da água faz toda a diferença. Algo entre 90 °C e 96 °C é o ideal para não amargar o café. E na hora de dosar, a proporção clássica de uma parte de café para dezesseis partes de água pode ser um bom começo.

Outro ponto importante é em relação ao açúcar, uma vez que para apreciar bem os sabores, o ideal é não adoçar. Aliás, essa espécie, por si só, já tem um sabor levemente adocicado, o que pode ajudar a se habituar a consumir sem adoçantes.

Aprecie cada nota do café

O excelsa tem muitos sabores escondidos, desde notas frutadas até um toque de madeira. Então, isso pode transformar completamente a experiência de quem o experimenta.

Nesse contexto, ao saborear, vale a pena reservar um tempo para aproveitar a experiência, desde o preparo, sentir o aroma e ter consciência de cada gole. Dessa forma, pode aproveitar e notar as diferentes nuances do grão, e ainda comparar a outros.

Enquanto não aparece a oportunidade de experimentá-lo, o Café em Grão Gourmet Black Label da Bicafé é uma excelente oportunidade para entrar no mundo dos cafés especiais.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.