Café Microlote

O que é um café microlote?

Um café microlote abrange vários tipos de grãos raros e seu preço é bem alto. Então, conheça tudo sobre essa potência do mercado cafeeiro e entenda porque este é um produto tão cobiçado.

A terceira onda e o café microlote

Na história desta bebida existem marcos que definiram a sua forma de produção e consumo. Assim, cada momento desse é conhecido como onda. Ainda, nos dias atuais, este comércio vive a cultura da terceira fase.

O café microlote está associado ao momento atual do mercado cafeeiro de forma total. Então, é aí que entra a SCAA, Specialty Coffee Association of America e o cultivo de grãos raros.

Esta organização avalia os melhores tipos da bebida no mundo e define quais são os cafés especiais. Assim, estes possuem sabor excepcional e estão cada vez mais populares entre os consumidores da área. Por isso, eles são o carro chefe da terceira onda.

A cultura do café especial

Esta fase tem foco na busca por qualidade e deixa a quantidade em segundo plano. Ainda, as máquinas de espresso e cafés fortes começam a abrir espaço aos filtros que preservam mais o sabor doce que vem dos grãos raros.

A terceira onda está marcada por um movimento orgânico. Então, há mais valor para os produtores e maior atenção à origem da bebida. Bem como, sabores que muitos pensavam não ser possível encontrar neste famoso produto.

Entenda o que é o café microlote

Dentro do mercado de grãos excepcionais, existem safras que se destacam ainda mais. Por isso, estas possuem certos parâmetros que as encaixam nesta divisão tão única e especial.

Dessa forma, o café microlote é uma edição limitada composta por tipos de grãos raros vindos de uma produção limitada. Essas safras, em geral, são de tamanho reduzido por causa de questões como o plantio difícil ou qualidade da terra.

O que torna uma safra especial ainda mais rara

É preciso haver um diferencial no produto final. Assim, a classificação da SCAA diz o quanto aquela bebida é rara de acordo com alguns níveis que se classificam em:

  • Doçura;
  • Acidez, 
  • Textura;
  • Amargor;
  • Ausência de imperfeições.

Em um nível de zero a 100, a bebida precisa ter pelo menos 80 pontos para fazer parte desta divisão. Então, quanto mais perto da nota máxima, mais raro é o item e as chances de ser um café microlote aumentam. 

O que a produção de grãos raros precisa

A combinação de uma genética especial e um trabalho de qualidade trazem um bom resultado. Por isso, o cuidado passa por todas as etapas. Desde o plantio à colheita, seleção, secagem, torra e embalagem. 

O local e clima também tem influência e a genética das plantas podem gerar algo novo, até mesmo um microlote exclusivo. Enfim, condições próprias de cultivo e espécies complexas de grãos podem gerar uma safra especial.

Como é vendido um café microlote e quais os valores

Para entender, veja o exemplo do café geisha e a fazenda La Esmeralda, no Panamá. Este tipo hoje é um dos mais caros do mundo por oferecer uma experiência sensorial de alto padrão. Mas, por muitos anos, falhas no cultivo a impediram de alcançar pleno potencial.

Em 2004, estes produtores mudaram isso e conquistaram muitos prêmios com grãos de nota 96,4. Com certeza, esta safra gerou um microlote, e menos de 500 gramas chegaram a custar $130 dólares.

Saiba como o produto é vendido

O preço de um café microlote não é baixo e ele pode ser vendido por meio de leilão. Ainda, existem eventos ou feiras em que especialistas reconhecem e premiam grãos especiais. Então, nestas ocasiões uma saca de 60 quilos pode custar milhares de dólares. 

É possível ainda, levar a comércio de forma direta e com valores altos, tanto os grãos como o produto final. Por fim, existem ótimas opções no mercado com vários tipos de nuances e sabores imperdíveis para quem gosta da bebida.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.