Como a paixão por café marcou as obras das personalidades na história?


A paixão por café faz parte da história, afinal, desde que surgiu, ele coleciona amantes, entre eles personalidades históricas. Saiba mais sobre os apreciadores da bebida em momentos inusitados e como a modernidade contribui para que os coffee lovers aumentem.

Note que a paixão por café sempre existiu

Antes de mais nada, a origem do café não é exata, alguns historiadores datam do século IX, das terras altas da Etiópia. Apesar disso, nem sempre o seu consumo foi algo popular. 

Desde o seu surgimento, o grão tem despertado interesse. Houve quem acreditasse, inclusive, que ele tinha propriedades milagrosas e até mesmo um país que proibiu seu consumo, por conta do poder da cafeína, que deixava todos alegres e bem dispostos.

Foi um longo caminho durante os anos, países e tradições que fizeram desta uma das bebidas mais consumidas no mundo. Apesar de que não se pode negar: a paixão por café sempre existiu.

Personalidades conhecidas por seu amor pela bebida

Antes de mais nada, com essa bebida não há cerimônia, ela conquista todos os paladares, dos comuns até os das personalidades. A lista com os amantes que tem amor por café é tão grande que não caberia aqui, porém, pode-se citar alguns, por exemplo: 

  1. David Lynch;
  2. Kierkegaard;
  3. Bach;
  4. Beethoven;
  5. Napoleão Bonaparte;
  6. Balzac;
  7. Voltaire.
Foto: A paixão por café é uma das mais antigas do mundo

1 – David Lynch e sua enorme paixão por café

De antemão, já se pode dizer que David Lynch é multitalentoso. Ele é diretor, roteirista, produtor, artista visual, músico e ator americano. Por isso, para tantas habilidades, nada melhor que beber café para dar disposição.

Note que Lynch levou a paixão pela bebida para outro nível. Isso porque, ele lançou nos EUA o próprio selo de café orgânico. São três sabores:

  • Orgânico Sabor Caseiro; 
  • Torra Orgânica para Espresso;
  • Orgânico Sabor Caseiro Descafeinado.

Enfim, todos possuem a sua aprovação, além de passar por testes rigorosos. Assim, como ele mesmo diz sobre café, este é “um bom amigo”.

2 – Kierkegaard

Kierkegaard foi um filósofo, teólogo, poeta e crítico social dinamarquês e um dos apaixonados por café. Porém, o que marcou essa paixão foram fatos curiosos. 

Há uma lenda que diz que ele não era muito fã do amargor da bebida, pois usava em sua xícara uma quantidade grande de açúcar, cerca de 30 cubos.

Conhecido pela sua coleção de xícaras

Aliás, as xícaras também marcaram a excentricidade do filósofo, uma personalidade que ama café, já que ele as colecionava e chegou a ter mais de 50 unidades. 

Embora, quem ficava encarregada de servir e escolher a peça era sua empregada, que tinha que explicar, com base filosófica é claro, o porquê da escolha. No mínimo, um hábito singular.

Foto: Um dos filósofos mais famosos do mundo demonstrava uma grande paixão por café

3 – Bach tinha uma paixão por café absurda

O alemão Sebastian Bach, de fato, dispensa apresentações. Afinal, é um grande nome da música clássica e compôs uma cantata “Kaffee Kantate” para uma cafeteria. 

Na história, um pai tenta fazer com que a filha pare de tomar muito café. Aliás, percebe-se a paixão da moça pelas frases:

  • Delicioso como milhares de beijos;
  • Mais doce que um moscatel;
  • Eu preciso de café.

Por fim, o que se sabe é que Bach era um grande fã da bebida, embora na época houvesse grandes desinformações e receios a respeito da mesma que tinha chegado há poucas décadas a Europa.

4 – Beethoven

Antes de mais nada, o compositor alemão tem a sua paixão por café como uma das mais conhecidas da história. Ele acreditava que a bebida ajudava na criatividade, além de lhe dar energia. Por isso, não abria mão de boas doses na hora de compôr suas partituras.

Uma obsessão pela bebida

Assim, dizem que ele era obcecado pela bebida e a tomava sempre. Também ganhou esse rótulo porque ele usava em apenas uma xícara até 60 grãos de café.

Não se sabe se era pelo sabor ou se ele acreditava que o excesso garantia alguma propriedade milagrosa. Enfim, se isso ajudou ou não, o que se sabe ao certo é que Bach foi um gênio atemporal.

5 – Napoleão Bonaparte tinha uma paixão por café

O militar Bonaparte sofria de dores estomacais, porém, isso não era o suficiente para fazê-lo desistir da bebida que, aliás, era uma de suas paixões. 

Logo, era frequentador assíduo do café Le Procope, na França e antes mesmo de se tornar conhecido, deixava seu chapéu como garantia de voltar e quitar a dívida. Dessa forma, é creditado a ele frases famosas que evidenciam todo esse amor, são elas:

  • Café: a bebida favorita do mundo civilizado;
  • Prefiro sofrer do que parar de tomar café.

6 – Balzac

O Balzac, escreveu o ensaio Os Prazeres e as Dores do Café (The Pleasures and Pains of Coffee), esse acabou se tornando um registro sobre sua paixão e vício pela bebida. Aliás, ele tomava muitas xícaras por dia e o excesso lhe rendia dores no estômago.

Nos escritos, ele fala sobre o que este grão é capaz de fazer no organismo. Além disso, afirma que esses efeitos poderiam ser estendidos de acordo com o modo de preparo.

Essas impressões foram escritas em 1830, de lá pra cá, de fato, a ciência já mostrou que em alguns pontos realmente Balzac estava certo.

7 – Voltaire e sua paixão por café

O escritor Voltaire, um dos famosos que amam café, era um aficionado, já que, em um só dia, ele era capaz de tomar até 50 xícaras. Embora seu médico tentasse advertir, dizendo que o excesso o mataria, ele viveu até os 83 anos.

Enfim, dizem que ele acreditava que o café o desse uma energia a mais para se dedicar à escrita, além de ajudar na criatividade.

Um grande amante da bebida

Além de ser um grande amante da bebida, ele misturava a bebida com outras delícias, uma delas era o chocolate

Modernidade contribuiu para aumentar a paixão por café?

Hoje em dia, é muito simples ter uma bebida com qualidade e com preço acessível, sem recorrer a uma cafeteria ou um barista.

As máquinas estão cada vez mais tecnológicas e totalmente automatizadas. Além disso, as cápsulas simplificam o processo, ou seja, não precisa moer ou prensar, para se ter um bom expresso.

Dito isso, a modernidade trouxe para as casas a chance de ter uma boa degustação, apenas com uma cápsula e um pouco de água.

As cápsulas de café e as diversas possibilidades de sabores

Uma das vantagens das cápsulas para quem tem paixão por café, com certeza, é a variedade de sabores. Assim, você consegue agradar o paladar dos convidados mais exigentes, pois com a máquina é possível fazer vários tipos de bebidas, por exemplo:

  • Lattes;
  • Cappuccino;
  • Macchiatos;
  • Café em várias intensidades.

As cápsulas oferecem essa versatilidade, além disso, é ótimo para reproduzir receitas e testar o grão em pratos diferentes.

Você ama essa bebida também? Então aproveite-a

O café é um caso de amor, as máquinas com designs modernos têm conquistado os lares, dando um toque a mais à decoração e ao cantinho de café. Aliás, as cápsulas coloridas ajudam a compor o ambiente e tem garantido espaço no coração dos brasileiros.

Aproveite a possibilidade de ter vários sabores à sua mão, bebidas diferentes e exóticas, além das tradicionais, no catálogo da Bicafé na Shopee. Afinal, o único contra é a paixão avassaladora pelos produtos, mas vale a pena.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.