O que é cupping

Como o cupping ajuda a selecionar e classificar o café?

O cupping é uma atividade que envolve classificar o café e identificar as notas e o retrogosto presentes nele. Os comerciantes mais antigos usavam essa técnica para avaliar os grãos que iam vender, mas hoje existem até competições da prática.

O que é cupping?

O cupping é um método para avaliar e comparar as características de diferentes tipos de café. Este processo permite identificar a qualidade, os aromas, os sabores, a acidez, o corpo, e o retrogosto do café.

O que é cupping
O cupping é uma prática para classificar o café. Foto de Harbucks | Canva

Qual é o passo a passo dessa prática?

O processo segue um protocolo para que toda avaliação seja justa, séria e possa ser repetida outras vezes.

É necessário usar um moedor de grãos e moer o café até uma textura específica para fazer a prova. Por isso, o café fica parecido com a usada para café de filtro ou prensa francesa, para ter um café gostoso e forte.

Antes de colocar água, os avaliadores cheiram o café moído para ver quais aromas ele tem ainda seco. Após colocar água quente, ele sente os novos aromas que aparecem durante o processo de passar o café.

Preparo do café para avaliação

Com o café moído em um copo de vidro ou de cerâmica, então coloca-se água quente. O café fica em infusão por um certo tempo para que os avaliadores consigam fazer a análise.

Depois de alguns minutos, uma crosta de pó de café se forma na superfície desse copo. Além disso, se quebra a crosta com muito cuidado, portanto os aromas passam por uma nova prova.

Os profissionais usam uma colher própria para esse processo, depois disso provam o café, puxando o líquido com força para espalhar o café pela boca. É nessa hora que avaliam os sabores, acidez, corpo e retrogosto.

Qual é a história do cupping?

O cupping surgiu no século XIX, conforme o comércio de café crescia pelo mundo, se fez necessário um sistema de avaliar e classificar os produtos. Os comerciantes não queriam vender grãos sem qualidade e também definir os preços de cada tipo.

Do mesmo modo, no século XX, a atividade melhorou e ficou mais moderna. Por isso, criaram-se até organizações para que o processo fosse regular. Além disso, surgiram regras para moer o grão e temperatura da água.

Essas normas fizeram com que o processo sempre acontecesse da mesma maneira, o que criou uma competição justa entre os grãos.

Além disso, os profissionais começaram a usar essa prática não apenas para detectar defeitos, mas também para identificar os tipos de café.

Nos últimos anos, a prática evoluiu. Agora existem até aplicativos apareceram para ajudar na análise desses dados sensoriais. Por isso, o processo ficou muito mais preciso e informativo e se tornou uma atividade muito séria.

Qual é o objetivo do cupping?

O principal objetivo do cupping é avaliar a qualidade dos grãos de café. Por isso, os especialistas em café, usam seus sentidos para examinar com cuidado cada um dos tipos de café antes de eles chegarem no consumidor final.

A prática serve como uma ferramenta para criar os perfis de sabor. Ao identificar as características únicas de cada lote de café, é possível ajustar a torra e criar uma experiência diferente em cada tipo e marca de café.

Outro objetivo importante do processo é a seleção de grãos para misturas específicas. Por isso, ao provar diferentes amostras lado a lado, os profissionais combinam os grãos para criar esses blends tão gostosos que sempre compramos.

A prática também determina o valor de mercado do café. É por isso que os cafés são classificados e ganham preço com base em sua qualidade de aguçar os sentidos. Contudo, isso influência nos tipos de grãos de café produzidos.

O que é cupping
O procedimento precisa ser feito sempre igual para ser válido. Foto de primpil | Canva

Como o cupping ajuda o consumidor final?

O cupping ajuda o consumidor final a entender identificar um café especial. Além disso, fica muito mais fácil procurar os cafés para a compra se existe um tipo preferido de grão. Para que um café seja especial, ele é avaliado pelos seguintes critérios:

  • aroma;
  • sabor;
  • retrogosto;
  • acidez;
  • corpo;
  • uniformidade;
  • defeitos;
  • doçura mínima;
  • balanço;
  • resultado.

Esses são os critérios do SCA (Specialty Coffee Association). Para ter o título de especial, o café precisa pontuar no mínimo 80 de 100 pontos. Isso é muito importante para definir o preço do grão, o tempo de torra e muito mais fatores que dão o valor do café.

Em resumo, um café é considerado especial quando ultrapassa os padrões em todos os aspectos de sua produção e apresentação. Existem muitos tipos de cafés especiais no mercado, por isso tantas coisas são avaliadas nos grãos.

Ele precisa oferecer uma experiência maravilhosa, que é superior tanto por seus sabores e quanto por sua contribuição positiva para as comunidades produtoras e o meio ambiente. Atualmente, muitas regiões produtoras fizeram do café sua maior economia.

Cafés especiais da Bicafé

Não deixe de conhecer as bebidas especiais da Bicafé, seja na versão em cápsulas dos mais diversos sabores, bem como, os seus grãos de qualidade.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.