Conheça o café mais caro do Brasil

Conheça o café mais caro do Brasil

O café mais caro do Brasil fornece notas únicas que encantam qualquer paladar. Assim, qualquer fã da bebida precisa provar e saber tudo sobre ele. Então, se você é realmente apaixonado e curioso por esse mundo, venha descobrir qual é ele e algumas curiosidades.

Qual é o café mais caro do Brasil? 

O tipo de café mais caro do Brasil é o Geisha, que se tornou muito famoso devido aos seus sabores únicos. Além disso, é bom saber que ele é uma variedade do arábica e se originou na Etiópia. 

Em 1960, esse produto chegou no Panamá, onde ganhou muita popularidade. Em seguida, ele dominou outros Estados brasileiros e hoje, o lote mais caro é vendido por uma fazenda que fica no interior de São Paulo. 

As plantas desse café tendem a produzir grãos que tem a forma mais espaçada. Desse modo, quando comparado a outros, ele resulta em uma produção menor. Ou seja, na prática, o seu processo de cultivo é mais caro e raro do mercado do café

 Devido à sua reputação impecável, ele ganhou muito reconhecimento entre vários tipos de cafeteria gourmet e baristas ao redor do mundo. Inclusive, é bom saber que ele também é cultivado na Colômbia, Costa Rica e na própria Etiópia. 

No Brasil, esse produto possui muita notoriedade. Aliás, por causa disso, diversos consumidores, brasileiros e estrangeiros, compram lotes de forma regular. Então, na prática, apesar do preço do café ser alto, a experiência compensa. 

Conheça o café mais caro do Brasil
O café mais caro do Brasil possui grãos saudáveis e com um brilho único. Imagem do Freepik.

Como o café mais caro do Brasil é produzido?

O Geisha, café mais caro do Brasil, precisa de técnicas específicas para garantir a qualidade dos grãos, que começa com o ambiente certo. Desse modo, é essencial acertar na escolha da fazenda e terroir. Além disso, para garantir o melhor sabor ele precisa de:

  • boas seleções das mudas;
  • cuidado no cultivo;
  • uma colheita seletiva;
  • processamento meticuloso;
  • armazenamento adequado. 

Fica claro que produzir esse grão não é fácil. Assim, apenas os cafeeiros mais experientes conseguem fazer isso com maestria. Mas, para que isso fique ainda mais claro, veja mais sobre cada um dos pontos listados. 

Conheça o café mais caro do Brasil
O café mais caro do mundo oferece uma experiência inigualável para o paladar. Imagem do Freepik.

Terroir 

A terroir, é um termo utilizado para falar sobre as condições climáticas. Então, para esse tipo de café, é essencial cultivá-lo em altitudes mais altas. Isso porque, elas estão associadas às temperaturas mais frescas. Além disso, eles precisam de:

  • solos ricos e bem drenados;
  • local com sombra indireta. 

A planta gosta de ambientes frescos. Desse modo, ela é mais produzida em regiões que conseguem proporcionar isso, como o interior de São Paulo. Mas, é bom saber que apenas ser um local frio não basta. Afinal, é crucial fornecer os nutrientes para ela ter saúde. 

Conheça o café mais caro do Brasil
Cada detalhe é essencial para produzir o café mais caro do mundo. Imagem do Freepik.

Cultivo

O manejo da Gueixa deve ser muito cuidadoso. Então, é possível garantir a pureza genética dela e com isso, manter todas as sensações típicas dela. Ou seja, esse é um detalhe que pode trazer grande diferença no sabor. 

Colheita

A colheita dela acontece de forma seletiva e manual. Então, dá para garantir que apenas os melhores cheguem as sacas de café. Mas, claro que esse é um processo muito mais lento do que o padrão.

Ao fazer isso, é possível garantir uma experiência excepcional. Contudo, como ele leva um tempo demasiado, de forma prática, acaba gerando mais custo. Assim, nada mais justo do que ele ser mais caro. 

Processamento

Depois da colheita, ela passa por um processamento, que varia de acordo com a técnica usada na fazenda. Ou seja, ele pode passar pelo processo natural, lavado e outros. Desse modo, é bom saber o método, antes da compra.

Armazenamento

Cada parte do café Geisha é seco com todo cuidado para serem preservados o aroma e sabores distintos. Então, esse é o último processo, mas essencial para preservar a qualidade da experiência. 

É claro que todo processo para comercializar esse tipo de café não é simples. Assim, é compressível o valor que ele chega aos mercados no Brasil e em outras diversas partes do mundo.

É bom saber que em território brasileiro é sempre um grande desafio cultivar o Geisha. Isso porque, aqui há uma grande variação térmica, mesmo nos locais mais estáveis. Desse modo, é preciso redobrar o cuidado para ter sucesso na venda. 

Como é o sabor do café mais caro do Brasil?

O Geisha, café mais caro do Brasil, tem notas de jasmim e flor de laranjeira. Além disso, ele tem um sabor frutado, que se adequa mais às frutas vermelhas cítricas e tropicais. Desse modo, ele consegue proporcionar uma experiência única. 

Para melhorar, ele tem uma doçura equilibrada, o que o torna o café sem açúcar ideal para quem não tem costume, e por fim, um toque de acidez. Assim, ele consegue marcar qualquer paladar, como os vendidos no Bicafé. 

A Bicafé é uma pioneira no ramo de produção de café em cápsula e em grãos de alta qualidade. Então, com ela, você pode encontrar diversas opções que atinjam o tom do Geisha, por exemplo, vários deles compatíveis com Nespresso, que vale a pena provar. 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.