Garrafa de cafeteira em vidro ao lado de xícara branca grande com café preto em cima de toalha de mesa branca

Café ácido: bom ou ruim?

O café ácido é uma safra especial que na mesma proporção que possui admiradores também tem aqueles que o rejeitam. Isso ocorre, pois, a maioria tem uma expectativa sobre o fruto ser doce, porém há aqueles que aprenderam a apreciar a acidez dele. 

O que é um café ácido?

Pessoa derramando água em filtro da café para preparar bebida típica à base do grão triturado
O café ácido, apesar de não ser muito comum ao paladar, pode ser bom. Imagem de Rawpixel no freepik 

A acidez é medida conforme um PH pré-definido por cientistas, ou seja, para entender se é um café ácido é preciso observar uma escala. Assim, para assim ser considerado ele precisa estar abaixo de 6,8, acima será este alcalino.

Este fruto não possui por sua natureza essa acidez, no entanto a partir de sua produção é possível atingir esse ponto. Por exemplo, quanto mais fina a moagem menor estará na escala. 

Por que o café é ácido?

Como já dito, não é uma característica que vem da natureza desse fruto. Dessa forma o principal responsável por sua acidez são os tipos de preparo, tal qual o processo químico da torrefação. Nesse sentido, as pessoas acreditam e estão acostumados com o café ser doce.

Existem 30 ácidos presentes no fruto que podem ou não ser ressaltados nesse processo. No entanto é uma característica frágil e sensível, ou seja, para que ele tenha esse gosto é preciso muito cuidado para não perder a essência. 

Como identificar um café ácido?

O café ácido é geralmente confundido com o amargo, no entanto possui diferença. Portanto a acidez é sentida pelas laterais da língua, já o outro está no topo. Ou seja, através do sensorial é possível identificar. 

Apesar de que a maioria dos brasileiros fica na escolha entre o café doce e o amargo, isso porque não é muito comum encontrar um que possui certa acidez.

Café ácido é bom ou ruim?

Apesar da associação de acidez com o limão, não é apenas essa experiência que esse sensorial pode deixar o café ácido. Assim, no geral o café ácido gera uma dúvida, por de maneira imediata remeter a essa fruta que possui um nível muito alto na escala.

Porém, algumas variedades deste fruto possuem em uma escala entre 4,5 a 5,10, esta que vai de 0 a 7, o que é um nível mais elevado do que um tomate por exemplo. Não é possível que não tenha nenhuma acidez, mas apenas varia em intensidade.

Assim, a percepção do sabor do café ácido depende do equilíbrio com outros elementos, além do gosto pessoal de cada um.

Pode então citar por exemplo o café espresso que é um que possui uma acidez presente na bebida em forma equilibrada, atingindo as áreas sensoriais laterais da língua.

Quais são os tipos de acidez de um café ácido?

Existem alguns tipos de acidez em um café ácido que podem diferenciar sobre o paladar, como o cítrico. Com isso, pode-se dizer que possui quatro tipos de ácidos, tal qual:

  • ácido málico;
  • cítrico;
  • tartárico;
  • acético.

Na sequência, confira onde estão mais presentes, bem como, qual é a sensação que cada um deles traz ao paladar.

Xícara de café em vidro transparente com expresso em seu interior, em cima de base de madeira e uma câmera fotográfica semi profissional com lente externa ao fundo em desfoco em cima de mesa de madeira
O café ácido pode ter diferentes intensidades, que mudam conforme a produção e a região de cultivo do café. Imagem de Dom Engenharia no facebook

Ácido málico 

Esse tipo de ácido é comum em frutas e legumes, sendo que as maçãs, por exemplo, têm alta concentração. Tal qual, no nosso corpo também há a presença desta substância, além de estar presente no café.

Aqueles em de altas altitudes são os que terão esse ácido, assim com características de um sabor persistente, suave, maduro e limpo. 

Cítrico 

É um ácido orgânico e mais conhecido, está presente na maioria das frutas, principalmente na laranja e limão. Apesar de sua acidez, ele serve também para neutralizá-lo tal qual o amargor de alguns sabores.

É muito presente nas cozinhas por esse diferencial de intensificar e equilibrar alguns aromas e sabores, além de manter a coloração do alimento. 

Tartárico 

Trata-se de um ácido natural, que auxilia na proteção de doenças e aumenta a imunidade do corpo, com um leve sabor amargo ao final, muito comum no vinho. Ou seja, sua presença está na maioria na uva. 

Acético

Também conhecido como etanoico, este é um dos mais comuns ácidos carboxílicos, além de estar presente principalmente no vinagre. Dessa forma é um dos mais usuais, apesar de ser considerado um defeito na culinária.

Isso porque possui uma fermentação não desejável, e é responsável pela queimação no estômago em pessoas mais sensíveis a partir de uma transformação que ocorre a partir do açúcar em cafés. 

Quais fatores que tornam um café ácido?

Há alguns fatores que podem influenciar e assim, gerar um café ácido, como a região do cultivo, isso porque, apesar de obter a presença desde o início, não é comum apresentar essa característica. Ou seja, existem formas de formar um equilíbrio e enaltecer essa sensação, tal qual:

  • região do cultivo; 
  • processos pós-colheita;
  • o ponto de torrefação;
  • moagem.

Esses fatores influenciam diretamente na acidez do café, assim é preciso observar esses pontos e saber como equilibrar e o momento certo para atingir o desejável.

Qual é mais ácido, a laranja ou o café?

O suco de laranja possui uma acidez maior em comparação ao café. No entanto, esse segundo fruto tem sido um dos principais causadores da famosa azia estomacal. Porém não são todos que possuem essa característica de acentuar a parte sensorial do ácido.

Como aumentar a acidez do café?

A acidez no café é mais presente naqueles que têm uma torra clara, por isso, na hora de escolher basta ficar atento a essas características na embalagem do produto.

Como diminuir a acidez?

De modo inverso, para reduzir a acidez, basta investir nos cafés de torra mais escura, ideal para aqueles consumidores que preferem o café mais doce.

Quais são os prós do café ácido?

O café ácido estimula a mente. Desse modo, com ele, você vai ter uma maior sensação de alerta e energia. Aliás, é bom saber que isso acontece devido a presença de ácido clorogênico e da própria cafeína. Além disso, ele tem outros prós, como:

  • contém antioxidantes;
  • tem efeito ergogênico;
  • há um potencial neuroprotetor;
  • melhora o humor. 

Todos os pontos citados, fazem com que essa bebida seja uma boa opção de consumo. Mas, claro que isso deve ser feito sem exagero. Então, no máximo, consuma 400 ml de café aromatizado por dia. 

A quantidade citada é para o público geral. Portanto, se você tem algum tipo de sensibilidade ou outra coisa que fuja do padrão, reduza ela ainda mais. Além disso, caso sinta qualquer desconforto, não deixe de pedir orientação médica. 

Benefícios dos antioxidantes

O café com limão ou outras versões, tem uma grande variedade de antioxidantes, que podem ajudar a combater danos radicais no corpo. Desse modo, na prática, eles podem reduzir o risco de algumas doenças cardíacas e até o câncer. 

Efeito ergogênico

A cafeína eleva o efeito ergogênico. Portanto, ela faz com que você tenha um melhor desempenho atlético, elevando a resistência e reduzindo a percepção de esforço durante os exercícios. Aliás, por isso, muitos investem no café com creatina.

O que é um potencial neuroprotetor? 

A bebida ácida, eleva o potencial neuroprotetor. Ou seja, na prática, ela pode reduzir o risco de doenças neurodegenerativas, como a Alzheimer e Parkinson. Mas, é bom saber que apenas alguns estudos indicam esse efeito. 

É certo que o antioxidantes e anti-inflamatórios do café protege o corpo. Contudo, ainda não há certeza, que ele chega ao ponto de evitar doenças agressivas, apesar de já existir diversas pesquisas que apontam esse benefício. 

Por que ele melhora o humor?

A cafeína contida na versão amarga, libera dopamina e a serotonina. Assim, ela estimula dois elementos que estão ligados de forma direta com a sensação de prazer do cérebro. Aliás, por causa disso, muitas vezes ele é usado na cura da depressão.

Café ácido: bom ou ruim?
O café ácido gera prazer para o cérebro. Imagem do Freepik.

Quais são os contras do café ácido?

O café ácido gera problemas gastrointestinais. Mas, isso só vai acontecer se você fizer o consumo em excesso. Além disso, o consumo regular pode trazer outros contras, por exemplo:

  • efeitos sobre a pressão arterial;
  • distúrbios do sono. 

Todos os efeitos citados, podem ser resolvidos com algumas estratégias. Então, se você já tem uma pré-disposição a ter problemas de pressão, reduza a quantidade ou até mesmo comece a tomar a bebida descafeinada. 

Escolha cafés de qualidade

Ao escolher um café moído ou em grão, mesmo que ele seja ácido, não vai trazer danos para o seu corpo. Além disso, com ele, você sempre terá uma experiência sensorial impecável. Ou seja, na prática, só há benefícios. 

Seguindo o que foi citado, uma excelente opção é a Bicafé. Afinal, hoje ela é um multinacional líder no ramo, que se esforça para fornecer sempre o melhor para todos os seus clientes. 

Na Bicafé, você vai encontrar linhas com variedades de sabor e sempre em alto padrão, por exemplo, os compatíveis Nespresso. Então, se a intenção é ter uma boa experiência, ela é a aposta perfeita. 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.